*TÚPAC AMARU e uma das Maiores Revoluções Populares Anti-imperialista Ocorrida nas Américas!

*Túpac Amaru II liderou um levante indígena que desembocou no que ficaria conhecido como: A maior revolução contra um império (contra o império espanhol) ocorrida na América Latina.

*Séculos depois, ele e sua esposa e co-organizadora, Micaela Bastidas, ainda são poderosos símbolos na luta pela libertação dos povos andinos.

Foi somente quando o presidente de tendência esquerdista do Peru, Juan Velasco Alvarado, chegou ao poder em 1968 que Túpac Amaru foi resgatado do relativo esquecimento. Foto: Jesús Ruiz Durand.

Em 19 de março de 1742 nascia em Cuzco, no Peru, um dos principais líderes revolucionários do continente americano. Inspirado nos ideais iluministas, o líder Kuraca (Soberano de todos os chefes incas) se rebelou junto à elite crioula contra a colonização espanhola.

Efeitos da conquista de Potosí e a lógica:

A descoberta de Potosí em 1545 reorganizou a estrutura do que seria conhecido futuramente como “a estrutura colonial espanhola“, investiram pouco e saquearam muito.

Em meados de 1570 o Cerro Rico foi fundamental para a dinâmica da lógica mercantil existente à época, pois a prata que brotava de Potosí marcou um novo estágio na era capitalista, não nos esqueçamos que o mercantilismo foi o pai do capitalismo mais ou menos como o conhecemos atualmente, expropriar, roubar, explorar.

Mining in Potosí, an engraving from Theodor de Bry in Historia Americae sive Novi Orbis, 1596 – Imagem da internet

O Novo Mundo foi responsável pela produção de 74% de toda a prata produzida no mundo durante o século XVI e, com isso, Potosí nascia como a maior cidade do mundo, ultrapassando cidades como Amsterdã, Londres, Sevilha e Veneza.

Cerro de Potosí. Grabado en madera, del libro Crónica del Perú, 1552, de Pedro Cieza de León – Imagem da internet

Dado a prisões criminosas, torturas, apropriações e expropriações, a morte como exemplificações anti levantes e contra insurgências, o império espanhol, assim como outros impérios, assassinou Tuapac Amaru: Amarram-lhe uma de cada mão em cordas, amarraram-lhe uma de cada perna em cordas, cada corda foi amarrada em um cavalo que foram açoitados, desta forma Tupac Amaru foi torturado e seviciado até a morte. Antes, Tupac foi forçado a presenciar torturas, sevicias e os assassinatos contra sua esposa e filhos, a cabeça de Tupac foi cortada enfiada em uma lança (este ritual era uma pratica europeia contra lideres revolucionários ao redor do mundo explorado, no Brasil o caso mais conhecido foi o de Tiradentes, o herói inconfidente).

A morte de Tupac Amaro pelo império espanhol. Imagem da internet

Neste dia, conforme relatos da época, a região que sempre apresentou tempo seco, limpo e ensolarado, amanheceu totalmente nublado, não se enxergava 10 metros adiante, por volta do meio dia, hora marcada para o esquartejamento de Tupac Amaru, aconteceu um vendaval e na sequencia um forte temporal, como se os céus estivessem anunciando o pressagio e amaldiçoando os crimes da coroa.

A citação acima foi retirada de um informe oficial que descreve a execução de José Gabriel Condorcanqui “Tupac Amaru“, sua esposa Micaela Bastidas e seus filhos, ocorrida em 1781.

Descendente da nobreza Inca, ele exercia o posto de grande líder na região de Tinta -um dos 8 distritos da Província de Canchis, Cusco-, Tupac liderou um movimento que combatia o trabalho forçado des Incas e da população miserável, escravizados nas minas de prata e ouro. A princípio, as reivindicações foram feitas através de instrumentos legais, o que demonstrava a confiança nas instituições espanholas. Sem sucesso, alguns indígenas decidem, em 1780, organizar uma revolta armada que se espalhou rapidamente pela região peruana, chegando a contar com dezenas de milhares de integrantes. Os revoltosos cercaram a cidade de Cuzco durante meses, porém, não conseguiram penetrá-la. Com o apoio de alguns caciques, dos criollos e da Igreja Católica (que determinou a excomunhão dos participantes do movimento, o que diminuiu drasticamente o número de adesões), o sangrento império espanhol, conseguiu prender alguns dos principais líderes, como Tupac Amaru e sua esposa, Micaela. As prisões não determinaram o encerramento das revoltas, o que ocorreu apenas em 1783.

Fontes:

Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas

Kátia Gerab e Maria Angélica Campos Resende. A Rebelião de Tupac Amaru – luta e resistência no Peru do século XVIII. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987. PP. 40 – 41.

Leia também: Livro sobre a principal insurreição das Américas é sucesso nos EUA

Alguns Monumentos Latino Americanos ao Grande Herói Túpac Amaru:

→←

Capilla del Hombre | por obvio171

→→

Helder Ribei

ro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.