*02/02/1848 O Roubo do México

Por: Fernando Bossi Rojas

Os Estados Unidos começaram sua expansão à custa de notas. Em 1803, eles compraram a Louisiana da França e, em 1819, a Flórida da Espanha. Em 1825 tentaram fazer o mesmo com o Texas, mas o governo mexicano recusou.

Foi assim que os americanos realmente começaram a colonizar o Texas.

Com essa infame manobra, o Texas declarou-se independente em 1836. Os “independentes” eram em sua maioria americanos. O exército mexicano, sob o comando de Santa Anna, foi derrotado e ele assinou um tratado de paz, reconhecendo a independência. O governo mexicano recusou-se a aceitar o tratado.

Em 1845, os Estados Unidos incorporaram o Texas como um novo estado e ofereceram aos mexicanos a compra da Alta Califórnia e do Novo México. A proposta foi rejeitada. A guerra estava próxima e os americanos procuravam uma desculpa para declará-la.

As tropas imperialistas invadiram grande parte do México e, após sangrentas batalhas, derrotaram o mal equipado e mal liderado exército mexicano. Com poucas honrosas exceções, o alto comando mexicano conduziu a guerra de forma desastrosa, mas não as tropas que primaram pelo heroísmo.

Em 2 de fevereiro de 1848, o Tratado de Guadalupe Hidalgo foi assinado. Para o México, a invasão significou a perda de mais de 2 milhões de quilômetros quadrados, 55% de seu território.

Com essa ação vândala, os Estados Unidos incorporaram ao seu país os atuais estados do Arizona, Califórnia, Nevada, Utah, Novo México e partes do Colorado, Wyoming, Kansas e Oklahoma.

Resumindo: os americanos estavam ocupando o Texas como simples colonos; na época declararam “independência“, para depois se anexarem aos Estados Unidos. Diante da reação do governo mexicano, os imperialistas declararam guerra. A potência bélica dos Estados Unidos, em pleno desenvolvimento industrial, prevaleceu sem grandes dificuldades. O governo norte-americano venceu a guerra, impôs as condições e tomou posse de mais da metade do território mexicano, rico em ouro, petróleo, terras férteis, minerais, etc.

A desculpa para a indignação foi dada por seu presidente, James Polk: “…fomos forçados, em nossa própria defesa, a repelir o invasor e a reivindicar nossa honra e interesses nacionais…”. Invadindo o México! A audácia dos imperialistas nunca teve limites…

Leia na íntegra: Portal Alba