*EUA Estendem a Licença à Chevron Para Continuar Operando na Venezuela: Por que eles Fazem Isso?


Sempre foi dito que o poder dos americanos se baseia em seu “pragmatismo”. Essa abordagem simplesmente destaca que, quando se trata de “negócios”, o executivo ou empresário americano não pára por nada, nem por ninguém . Certamente, essa é a razão fundamental pela qual o governo da ¿cessante?, Donald Trump, decidiu renovar a licença para a empresa Chevron, para que continue a operar no país, pelo menos até junho de 2021.

Embora à primeira vista pareça implausível, visto que estamos em um contexto de “pressão máxima” por uma “mudança de regime “ , o “pragmatismo” dos gringos costuma levá-los a bater com uma das mãos e com a outra estender Pontes. Eles fizeram isso muitas vezes ao longo da história contemporânea. E, aparentemente, é isso que estão fazendo na Venezuela.

Por esse motivo, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos emitiu na terça-feira uma licença para a gigante do petróleo continuar trabalhando no país. Estamos falando da última e única grande empresa norte-americana do setor, que continua operando na Venezuela, em meio à intensificação do bloqueio criminoso. A decisão tem prazo transnacional até 3 de junho do próximo ano, para liquidar suas joint ventures no país.

Interpretações possíveis

Uma leitura possível, mas não única, dessa decisão é que os Estados Unidos, independentemente de ser Trump ou Joe Biden quem finalmente assuma as rédeas do poder na Casa Branca, não estão dispostos a perder sua participação no mercado petroleiro como o venezuelano. Isso porque eles sabem muito bem que essa lacuna poderia ser rapidamente preenchida por outros concorrentes, como a Rússia ou a China.

A outra interpretação é que o governo dos Estados Unidos finalmente admite que as sanções errôneas, embora tenham causado muitos danos econômicos, politicamente foram um fiasco total .

Certamente, as “sanções” em sua fase de máxima pressão desferiram um golpe nobre nas finanças do país. Em 6 anos, cerca de um terço da produção foi perdido. Nesse período (2014-2019), a Venezuela deixou de produzir 1.195 milhões de barris. Da mesma forma, as perdas somente com a queda na produção de petróleo são estimadas em 67 bilhões de dólares.

Mas Nicolás Maduro ainda é o presidente constitucional da Venezuela. E o país continua a ser a primeira reserva comprovada de petróleo do mundo, com quase 300 bilhões de barris. Os gringos parecem ter 300 bilhões de razões para alimentar o “pragmatismo” de seu sistema decadente.

Ler na íntegra: Extienden licencia a Chevron para seguir operando en el país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.