*O Declínio do Comercio Mundial

A humanidade estaria no limiar do LUMPEMPROLETARIADO ?
O declínio do comercio mundial de matérias primas pode estar indicando o fim do capitalismo

Crescimento do comércio global perde força à medida que as tensões comerciais persistem

O comércio mundial continuará enfrentando fortes ventos contrários em 2019 e 2020, depois de crescer mais lentamente do que o esperado em 2018, devido ao aumento das tensões comerciais e ao aumento da incerteza econômica. Os economistas da OMC esperam que o crescimento do volume de comércio de mercadorias caia para 2,6% em 2019 – abaixo dos 3,0% em 2018. O crescimento do comércio pode então se recuperar para 3,0% em 2020; no entanto, isso depende de um alívio das tensões comerciais.

Conferência de Imprensa: Observações da DG Azevêdo

Crescimento do comércio global perde força à medida que as tensões comerciais persistem
Crescimento do comércio global perde força à medida que as tensões comerciais persistem

Pesquisa e análise econômica

Estatísticas do Comércio Internacional

 #WTOStats

 #Comércio global

Conferência de Imprensa: Observações da DG Azevêdo

PONTOS PRINCIPAIS

  • O volume de comércio mundial de mercadorias deverá crescer 2,6% em 2019,acompanhado pelo crescimento do PIB de 2,6%. 
  • O crescimento do comércio deve subir para 3,0% em 2020, com o crescimento do PIB estável em 2,6%.
  • Espera-se que o crescimento do comércio em 2020 diminua o crescimento do PIB devido a um crescimento mais rápido do PIB nas economias em desenvolvimento.
  • As tensões comerciais ainda representam o maior risco para a previsão , mas um relaxamento pode fornecer algum potencial de alta.
  • A fraca demanda de importações na Europa e na Ásia prejudicou o crescimento do volume de comércio global em 2018, devido à grande participação dessas regiões no comércio mundial.
  • O valor do comércio de mercadorias subiu 10% para US $ 19,48 trilhões em 2018, em parte devido aos preços mais altos da energia.
  • O valor do comércio de serviços comerciais aumentou 8% para US $ 5,80 trilhões em 2018, impulsionado pelo forte crescimento das importações na Ásia.

O diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo, disse: “Com as tensões comerciais em alta, ninguém deve se surpreender com essa perspectiva. O comércio não pode desempenhar plenamente o papel de crescimento quando vemos altos níveis de incerteza. É cada vez mais urgente resolver tensões”. e focar em traçar um caminho positivo para o comércio global que responda aos desafios reais da economia atual – como a revolução tecnológica e o imperativo de criar empregos e impulsionar o desenvolvimento. Os membros da OMC estão trabalhando para fazer isso e estão discutindo maneiras de fortalecer e salvaguardar o sistema de comércio. Isso é vital. Se esquecermos a importância fundamental do sistema de comércio baseado em regras, correremos o risco de enfraquecê-lo, o que seria um erro histórico com repercussões para empregos, crescimento e estabilidade em todo o mundo. “

O crescimento do comércio em 2018 foi prejudicado por vários fatores, incluindo novas tarifas e medidas de retaliação que afetaram os bens amplamente comercializados, o crescimento econômico global mais fraco, a volatilidade nos mercados financeiros e condições monetárias mais rígidas nos países desenvolvidos, entre outros. Estimativas consensuais indicam que o crescimento do PIB mundial caiu de 2,9% em 2018 para 2,6% em 2019 e 2020.

O crescimento do comércio acima da média de 4,6% em 2017 sugeriu que o comércio poderia recuperar parte de seu dinamismo anterior, mas isso não se materializou. O comércio só cresceu ligeiramente mais rápido do que a produção em 2018, e espera-se que esta fraqueza relativa se prolongue pelo menos até 2019 (Gráfico 1). Isso se explica, em parte, pelo crescimento mais lento da União Européia, que tem uma participação maior no comércio mundial do que no PIB mundial.

Gráfico 1: Volume do comércio mundial de mercadorias e crescimento do PIB real, 2011-2020 
Variação anual%

Nota: O PIB é medido a taxas de câmbio de mercado. Dados para 2019 e 2020 são projeções. 
Fonte: OMC e UNCTAD para comércio, estimativas consensuais para o PIB.

A estimativa preliminar de 3,0% para o crescimento do comércio mundial em 2018 está abaixo da previsão mais recente da OMC de 3,9% divulgada em setembro passado. O déficit é explicado principalmente por um resultado pior do que o esperado no quarto trimestre, quando o comércio mundial, medido pela média das exportações e importações, declinou 0,3%. Até então, o comércio do terceiro trimestre havia crescido 3,8%, em linha com as projeções da OMC.

Reconhecendo o alto grau de incerteza associado às previsões do comércio sob as condições atuais, o Gráfico 2 usa bandas sombreadas para ilustrar uma série de possíveis resultados comerciais em 2019. A expansão do comércio no ano corrente é mais provável de cair de 1,3% para 4,0%. Deve-se notar que o crescimento do comércio pode estar abaixo deste intervalo se as tensões comerciais continuarem a crescer, ou acima delas, se elas começarem a diminuir.

Gráfico 2: Volume do comércio mundial de mercadorias, 2015T1-2019T04 
Índice de volume dessazonalizado, 2005 = 100

Fonte: OMC e UNCTAD, estimativas do Secretariado da OMC.

Os valores nominais de comércio também subiram em 2018 devido a uma combinação de mudanças de volume e preço. As exportações mundiais de mercadorias totalizaram US $ 19,48 trilhões, um aumento de 10% em relação ao ano anterior. O aumento foi impulsionado em parte pelo aumento dos preços do petróleo, que aumentaram cerca de 20% entre 2017 e 2018 (Gráfico 3). O valor do comércio de serviços comerciais cresceu quase tanto, com exportações totalizando US $ 5,80 trilhões em 2018, 8% acima do ano anterior. As distribuições detalhadas do comércio de mercadorias e serviços comerciais por país e região são mostradas no Anexo às Tabelas 1 a 4 e no Gráfico 1 do Anexo. As estatísticas do comércio em termos de valor são altamente sensíveis a flutuações nos preços e taxas de câmbio e, como resultado, devem ser interpretadas com cautela.

Gráfico 3: Preços das commodities primárias, jan. 2014 – fev. 2019 
Índices, janeiro de 2014 = 100

Fonte: Estatísticas do Preço das Commodities do FMI.

Houve poucas mudanças nas classificações de exportação e importação entre os principais traders em termos de valores do dólar. O crescimento mais rápido das exportações de mercadorias em termos nominais foi registrado pelos produtores de petróleo, incluindo o Reino da Arábia Saudita (34,8%) e a Federação Russa (25,6%). Os valores de importação de mercadorias aumentaram mais para a Indonésia (20,2%), Brasil (19,8%), China (15,8%) e Vietnã (15,4%). Entre os comerciantes de serviços comerciais, a China registrou fortes aumentos no valor de suas exportações (17%) e importações (12%). A Índia também registrou crescimento de dois dígitos no comércio de serviços comerciais, tanto do lado das exportações (11%) quanto do lado das importações (14%).

A previsão atual do comércio reflete projeções do PIB para América do Norte, Europa e Ásia, principalmente devido a considerações macroeconômicas, incluindo o efeito decrescente da política fiscal expansionista nos Estados Unidos, a eliminação gradual do estímulo monetário na área do euro e o atual reequilíbrio econômico da economia chinesa, longe da fabricação e do investimento, e em direção aos serviços e ao consumo. As autoridades monetárias colocaram mais aumentos na taxa em resposta a dados econômicos suaves, mas mudanças na política monetária levam algum tempo para serem sentidas. As medidas comerciais anunciadas no ano passado também estão refletidas nas premissas subjacentes do PIB, mas qualquer aumento adicional das tensões comerciais não é levado em conta. 

O impacto das tensões comerciais nos fluxos comerciais reais é difícil de quantificar, uma vez que depende da natureza de quaisquer medidas propostas e se elas são implementadas ou apenas ameaçadas. Medidas ameaçadas ainda podem ter efeitos reais, aumentando a incerteza e desencorajando o investimento.

Os economistas da OMC tentaram quantificar o impacto econômico de médio prazo de um conflito comercial mais amplo, no qual a cooperação internacional sobre tarifas quebra completamente e todos os países estabelecem tarifas unilateralmente (Bekkers e Teh, a ser publicado). Sob este estudo, tal cenário “pior cenário” levaria a uma redução no PIB mundial em 2022 de cerca de 2% e uma redução no comércio global de cerca de 17% em comparação com as projeções de referência. Em comparação, o PIB mundial caiu cerca de 2% e o comércio global caiu cerca de 12% em 2009, após a crise financeira.

Outros riscos para as perspectivas de comércio são mais difíceis de quantificar. Por exemplo, os efeitos do Brexit dependerão da natureza de qualquer acordo que possa ser alcançado entre o Reino Unido e a União Europeia, com impactos principalmente confinados a essas economias. Um menor investimento no Reino Unido é provável nos cenários mais previsíveis do Brexit, o que tenderia a reduzir a capacidade produtiva ao longo do tempo (Apêndice Quadro 2).

Detalhes sobre a evolução do comércio em 2018

A desaceleração no crescimento do volume de comércio de mercadorias em 2018 foi ampla, refletindo uma demanda de importação mais fraca nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, embora algumas regiões tenham sido mais afetadas do que outras.

O Gráfico 4 mostra as exportações e importações trimestrais ajustadas sazonalmente por nível de desenvolvimento. A fraqueza foi mais evidente no quarto trimestre de 2018, quando os volumes de exportação caíram 0,1% e os volumes de importação caíram 0,5%. Do lado das exportações, a desaceleração deveu-se principalmente à redução nos embarques dos países desenvolvidos, que registraram contração no comparativo anual em três dos quatro trimestres de 2018. No lado das importações, os países desenvolvidos registraram crescimento lento ao longo do ano, a primeira metade. Enquanto isso, as economias em desenvolvimento viram as importações caírem acentuadamente (-2,1%) no último trimestre, apesar do crescimento mais forte no início do ano.

Gráfico 4: Exportações e importações mundiais de mercadorias por nível de desenvolvimento, 2012T1-2018T4 
Índice de volume, 2012T1 = 100

Fonte: OMC e UNCTAD.

O gráfico 5 mostra os volumes de exportação e importação de mercadorias por região. A desaceleração do comércio em 2018 foi impulsionada principalmente pela Europa e Ásia, devido à sua grande participação nas importações mundiais (37% e 35%, respectivamente). Depois de registar fortes aumentos em 2017, a Ásia viu o seu crescimento comercial moderar em 2018. Entretanto, as exportações da Europa estagnaram ao longo do ano, enquanto as suas importações diminuíram gradualmente.

Gráfico 5: Exportação e importação de mercadorias por região, 2012T1-2018T4 
Índice de volume, 2012T1 = 100

1 Refere-se à América do Sul e Central e ao Caribe 
2 Outras regiões compreendem a África, o Oriente Médio e a Comunidade de Estados Independentes, incluindo Estados associados e ex-membros. 
Fonte: OMC e UNCTAD.

Uma grande exceção à tendência foi a América do Norte, onde uma economia dinâmica nos EUA contribuiu para um forte crescimento das importações de 5,0% em 2018 (Tabela 1). “Outras regiões”, englobando a África, o Oriente Médio e a Comunidade de Estados Independentes, viram o crescimento das exportações acelerar para 2,7%. Os fluxos comerciais da América do Sul continuaram a se recuperar gradualmente, mas foram afetados pela demanda externa mais fraca e pelos choques econômicos internos.

O aumento das tensões comerciais não pode explicar toda a desaceleração do comércio em 2018, mas sem dúvida desempenhou um papel significativo, uma vez que os consumidores e as empresas previram novas medidas comerciais em vigor. O comércio e a produção também foram influenciados por choques temporários, incluindo a paralisação do governo federal nos Estados Unidos e problemas de produção no setor automotivo na Alemanha no final do ano. É mais provável que esses choques tenham efeitos transitórios, fazendo com que os consumidores e as empresas adiem as compras e as decisões de produção, em vez de cancelá-las abertamente.

O comércio mundial de serviços comerciais registrou forte crescimento em 2018 pelo segundo ano consecutivo. Isso é ilustrado pelo Gráfico 6, que mostra o crescimento do valor em dólar das exportações de serviços por categorias principais. Os serviços relacionados a bens registraram a maior expansão, com um aumento de 10,6% em dólares correntes. O crescimento mais fraco foi no transporte, que subiu 7,1%. Os serviços comerciais em geral cresceram 7,7% em 2018.

Gráfico 6: Crescimento no valor das exportações de serviços comerciais por categoria, variação de 2014-18 
% nos valores em US $

Fonte: OMC, UNCTAD e ITC.

Perspectivas para o comércio em 2019 e 2020

Os indicadores do comércio voltados para o futuro tornaram-se negativos nos últimos meses, incluindo o World Trade Outlook Indicator (WTOI) da OMC. Em fevereiro, o índice WTOI caiu para 96,3, abaixo de seu valor de referência de 100, sinalizando desaceleração do crescimento do comércio no primeiro trimestre de 2019. Embarques de frete também iniciaram o ano com uma nota branda, com frete internacional tonelada-quilômetros (FTKs) caindo 3,0% ano a ano em janeiro, de acordo com estatísticas da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA). Uma medida dos pedidos globais de exportação derivados dos índices dos gerentes de compras também caiu para 49,1 em fevereiro, abaixo do valor limite de 50 que separa a expansão da contração (Gráfico 7). Juntos, esses dados apontam para uma fraqueza continuada do comércio no primeiro semestre de 2019.

Gráfico 7: Índice de novas encomendas de exportação do PMI Global, jan. 2010 – fev. Índice de 2019 
, base = 50

Nota: Valores maiores que 50 indicam expansão, enquanto valores menores que 50 indicam contração. 
Fonte: IHS Markit.

Um índice de incerteza de política econômica baseado na frequência de frases relacionadas à incerteza nas contas de imprensa é mostrado no Gráfico 8. O índice subiu consistentemente ao longo do tempo, chegando a 341 em dezembro de 2018, coincidindo com a paralisação do governo dos EUA e as negociações comerciais dos EUA com China. Na medida em que a incerteza econômica impede o investimento, ela pode ter um impacto negativo no comércio, uma vez que os bens de capital tendem a ter alto conteúdo de importação. Inversamente, seria esperado que uma redução das tensões comerciais estimulasse tanto o investimento quanto o comércio.

Gráfico 8: Incerteza da política econômica global, janeiro de 2005 – fevereiro de 2019 
(índice, média 1997-2015 = 100)

Fonte: PolicyUncertainty.com.

Se as previsões atuais do PIB forem realizadas, a OMC espera que o volume do comércio mundial de mercadorias cresça 2,6% em 2019, com expansão mais forte nas economias em desenvolvimento (3,4% para as exportações, 3,6% para as importações) do que nas economias desenvolvidas (2,1% para as exportações). , 1,9% para as importações). O crescimento do comércio mundial deve subir ligeiramente em 2020 para 3,0%, com crescimento nas economias em desenvolvimento (3,7% para as exportações, 3,9% para as importações) superando novamente os países desenvolvidos (2,5% para as exportações, 1,9% para as importações) (Tabela 1). A maioria dos riscos permanece firmemente no lado negativo, com o potencial de valorização de um relaxamento das tensões comerciais.

Tabela 1: Volume de comércio de mercadorias e PIB real, 2015 – 2020 
% de variação anual

1 Os números para 2019 e 2020 são projeções. 
2 Média de exportações e importações. 
3 Inclui a Comunidade dos Estados Independentes (CEI), incluindo os estados associados e ex-membros. 
4 Refere-se a América do Sul e Central e Caribe. 
5 Outras regiões compreendem África, Oriente Médio e Comunidade de Estados Independentes (CEI). 
Fonte: OMC e UNCTAD para comércio, estimativas consensuais para o PIB.

Apêndice Tabelas e Gráficos

Apêndice Tabela 1: Principais exportadores e importadores de mercadorias, 2018 
$ bn e%

1 Estimativas do Secretariado. 
2 As importações são avaliadas FOB 
3 Inclui reexportações ou importações significativas para reexportação. 
Fonte: OMC e UNCTAD

Apêndice Quadro 2: Principais exportadores e importadores de mercadorias, excluindo intra-UE (28), 2018 
$ bn e%

1 Estimativas do Secretariado. 
2 As importações são avaliadas FOB 
3 Inclui reexportações ou importações significativas para reexportação. 
Fonte: OMC e UNCTAD.

Apêndice Tabela 3: Principais exportadores e importadores de serviços comerciais, 2018 
$ bn e%

1 Importações ajustadas para avaliação fob. 
2 Estimativas anuais preliminares. Dados trimestrais não disponíveis. 
3 Segue a classificação de serviços do BPM5. 
– Indica não aplicável. 
Nota: Estimativas preliminares baseadas em estatísticas trimestrais. Os números para vários países e territórios foram estimados pelo Secretariado. Mais dados disponíveis emhttp://data.wto.org/ . 
Fonte: OMC, UNCTAD e ITC.

Apêndice Quadro 4: Principais exportadores e importadores de serviços comerciais, excluindo comércio intra-UE (28), 2018 
mil milhões de barris e%

1 Importações ajustadas para avaliação fob. 
2 Estimativas anuais preliminares. Dados trimestrais não disponíveis. 
3 Segue a classificação de serviços do BPM5. 
… Indica valores indisponíveis ou não comparáveis. 
– indica não aplicável. 
Nota: Estimativas preliminares baseadas em estatísticas trimestrais. Os números para vários países e territórios foram estimados pelo Secretariado. Mais dados disponíveis em http://data.wto.org/. 
Fonte: OMC, UNCTAD e ITC.

Apêndice Quadro 1: Exportação de mercadorias e importações de economias selecionadas, janeiro de 2017 a fevereiro de 2019 
Variação% em relação ao ano em valores correntes do dólar

1 janeiro e fevereiro calculou a média para minimizar as distorções devido ao ano novo lunar. 
Fonte: OMC Estatísticas comerciais de curto prazo.

Apêndice Quadro 2: Contribuições para o crescimento do PIB de economias selecionadas, 2012-2018 
% de alterações e pontos percentuais Fonte: Contas Nacionais Trimestrais da OCDE para todos os países exceto a China, que foi obtida das Estatísticas das Contas Nacionais da ONU até 2017 e da Economist Intelligence Unit para 2018.Clique para ver uma imagem maior;Compartilhar

leia na íntegra: Organização Mundial do Comércio (OMC)

Leia também: OMC avisa que comércio mundial de mercadorias se enfraquece

Leia também: Comércio mundial vai desacelerar em 2019, prevê OMC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.