*O Surgimento da Direita a Nível Planetário – Por villorBlue

A direita e a extrema direita (nazi/fascismo) está ressurgindo no planeta numa velocidade impressionante.

No leste Europeu, na UE, nos EUA, na África, na América do Sul e Central, na Ásia, no Oriente Médio, na Ásia Meridional.

Você pode estar pensando, o que está causando este movimento, esta resposta não encontraremos na mídia tradicional e burguesa.

Tudo o que estamos assistindo e tentando reagir contra, faz parte de um plano surreal e abarcador orquestrado pelo capital transnacional.

O capital deixou de ser representado por uma nação, ele é informação e pode estar hospedado em qualquer pais, pobre ou rico, de qualquer continente, uma pequena mostra disso sãos as moedas P2P, sem lastro, apenas informação.

O capital entende atualmente que o fascismo é interessante para sua sobrevivência, através da subserviência da classe explorada atualmente (aproveitando, o nazifascismo foi criado pelo capital, isso é assunto para outro texto) prova desta afirmação é a quantidade de golpes em países governados por políticos com tendências de esquerda e centro-esquerda, todos estes golpes estão tendo logística e recursos de organismos internacionais, muitos destes recursos de difícil rastreamento como é o caso das malas de dólares e do bunker baiano com 51Mi no Brasil.

E nesta direção não é preciso citar todos os casos e sim, usarmos nosso senso, em todos os países temos dezenas de exemplos nos últimos 10 anos. Por este motivo, ele (o capital) entendeu que deveria reprogramar o fascismo, inseri-lo dentro de algumas religiões para torná-lo limpo e santo, assim aceitável pela maioria de boa fé, deixar de lado a questão étnica e passar a focar as classes sociais, por isso a educação hoje em dia visa apenas a profissionalização (do indivíduo), como a lembrar sempre; sua melhora como pessoa se dará através do conhecimento técnico, assim, a educação não serve mais ao grande projeto utópico da humanidade, da elevação do ser humano em busca da consciência de todos, ou melhora do nível intelectual da espécie.

Este projeto global está em marcha desde a década de 1960, os primeiros passos foram dados no “Consenso de Washington”, a quase quarenta anos atrás. Lá o capital já percebia a própria estagnação, apenas naquela época, o capital era mais localizado, as maiores multinacionais tinhas suas sedes em território estadunidense e isto mudou, hoje o capital é transnacional, sem cara ou cor, sem idioma ou cheiro, sem rosto. Uma multinacional de certo país poderá ter seus executivos ou reservas em qualquer continente, ou não. A miserabilidade se abatendo sobre os menos favorecidos estadunidenses nos mostra que o capital hoje em dia é apátrida, só em NYC são dezenas de milhares de moradores de rua. Quer outro exemplo ? Detroit.

No Brasil os estados do sul do país se encontram em franca falência, sem recurso para educação e saúde, o Rio de Janeiro não consegue pagar os funcionários públicos corretamente e optam por intervenção militar para tentar controlar uma violência que não se controla com mais violência. Estes estados já foram considerados ricos, atualmente beiram a mendicância. Os estados do sul do pais são campeões  em exportação em soja, milho e outros, indicando que a riqueza gerada não fica no país nem em suas regiões.

Os “ovos da serpente” proliferam e germinam. Acontece em toda parte, nos EUA, no Brasil, na Argentina, na Europa e Leste Europeu, na Ásia e Ásia Meridional, nas Américas e Oceania. São muitos exemplos, seria cansativo exemplificá-los um por um. Alguns são disfarçados, outros se autoproclamam de extrema direita como é o caso de “Marine Le Pen” da Frente Nacionalista na França, são milhares de exemplos, cada um querendo mostrar um nível maior de crueldade para subir no conceito de suas organizações.

Na década de 60 o pensamento dos capitalistas era para apoiar o fascismo, alguns políticos estadunidenses, brasileiros e de outros países chegaram a assumir que os EUA haviam lutado do lado errado na guerra de 39, numa clara alusão de apoio ao nazismo, apenas pensavam que uma década e meia era pouco tempo pra enxertar a ideia da supremacia nas pessoas, fazia quinze anos do término da segunda guerra burguesa imperialista, e as pessoas ainda sentiam na carne as dores do massacre, nestes casos era mais uma questão de estratégia do capital.

Assim o capital teve tempo e segurança para trabalhar o individualismo nos indivíduos, o conceito amadureceu.

Como percebo, “tiveram tempo pra preparar um projeto para a humanidade a longo prazo“.

E quanto ao Brasil ?

O Brasil é um paraíso fantástico para o novo projeto do capital:

Desmatando o que sobrou da floresta Amazônica, da Mata Atlântica e do Pantanal o país pode produzir mecanicamente alimentos para o mundo, (sem utilização de mão de obra), o território tem terra fértil e água para tanto, a velha afirmação de “celeiro do planeta” tem fundo de verdade e se traduz no “olho grande do capital”. E quem possuir a América do Sul, terá o planeta em suas mãos.

Fora a parte agrária, o Brasil tem todos os minérios que o planeta precisa e com o desenvolvimento das nano fábricas, o capital poderá produzir o que quiser em qualquer parte do planeta, a qualquer hora, quase de graça.

Leia também: O fascismo poderá nos engolir a todos

Leia também: Fascismo com a complacência nacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s